segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Hall da Fama - 2º Firebrand

Viva! Até que enfim fiz outro post!
Nesse post ia falar apenas sobre o ilustríssimo Firebrand, mas também decidi falar sobre os jogos em que ele atua como protagonista(pra compensar esse tempão sem postar nada!)

Bom, mas vamos lá...

Em 1985, a Capcom lançou o arcade Ghosts 'n Goblins, a história do cavaleiro Arthur que devia resgatar a sua amada Guinevere do Rei dos demônios...

Nesse jogo aparecia um diabrete vermelho muito chato...
Na continuação desse mesmo jogo, o Ghouls 'n Ghosts, esse diabrete vermelho também apareceu...
Sabe se lá porque, a Capcom, em 1990, decidiu fazer desse diabrete um herói de seu próprio jogo, nascia assim o jogo "Gargoyle's Quest", para game boy com o tal dibrete vermelho como protagonista, aparecendo seu nome pela primeira vez: Firebrand (guarde bem este nome).
O jogo era uma mistura de RPG com ação, na qual o diabrete Firebrand deve derrotar o malígno rei dos demônios, Breager, que quer o colápso do reino.
Acredita-se que Firebrand seja o lendário "Red Blaze", aquele que segundo as lendas antigas irá livrar o reino do caos!

No jogo, Firebrand pula, voa, gruda na parede, atira bola de fogo pela boca...

Não é uma maravilha isso? Onde que um jogo tradicional, da época, em que tudo que faziamos era pular e atacar, poderia fazer algo além disso?

Conforme se avança no jogo, Firebrand ganha outros atributos, como pulo mais alto, vôo por
mais tempo e poder de seu tiro melhorado(no caso dele, baforada de fogo hehehehe)
Uma coisa, no mínimo, estroncha, foi a capa que o jogo ganhou na época, com Firebrand com pele verde, sorridente e mais vestido que o normal, mas tudo bem, o jogo é ótimo mesmo assim! (E além do mais, os americanos sempre estragavam as capas nas versões americanas, vide as do megaman que saíram para NES, e chore...)

Com o sucesso desse jogo, ele teve uma continuação entitulada "Gargoyle's Quest 2" e dessa vez foi para o NES, essa continuação mantinha, basicamente, o mesmo sistema de jogo do original.

A história começa a partir do ponto que Firebrand completa seu treinamento no reino de Etruria, mas subitamente uma luz negra dizima esse reino e o único remanescente é Firebrand, que se ergue e parte em um jornada pelo mundo, passando por outros reinos, até descobrir que mistério circunda por volta dessa tal luz negra.
Ainda não vi nenhum site comentar a respeito, mas a impressão que eu tenho é que os acontecimentos desse jogo se passam antes do jogo original, já que Firebrand, no início do jogo ainda está completando seus treinamentos.Outro vestígio a respeito disso é que Firebrand se encontra em outra dimensão(ele não está no reino dos demônios em Gargoyle's Quest, então, presume-se q ele esteja no mundo dos humanos, o que seria um elo de ligação com o fim do segundo jogo!)
E o gran finale:
Demon's Crest! O último jogo da trilogia do diabrete Firebrand é o Demon's Crest de SNES, que muitos(eu também não sabia disso!) acham que ele foi o primeiro jogo que o diabrete Firebrand atuou como protagonista.

Esse jogo é o máximo! Um dos melhores jogos já lançados pra SNES, até hoje quero achar ele no Mercado Livre, mas os preços estão muito salgados por lá e, além do mais... cof cof... acho que me desviei muito do assunto, não me deixe mais fazer isso hihihihihi

Voltando ao jogo...
Bom, dessa vez, aproveitando o avanço tecnológico do SNES, Firebrand já parece com mais vida do que os poucos pixels e frames que tinha na época de Game boy e NES; é um esplendor ver Firebrand disparar sua bola de fogo pela boca e imaginar se ele está se esforçando para atirar a tal bola ou se na verdade está com um sorriso sarcástico em seu rosto ^^

Na nova história, pedras mágicas caem do céu(as "Crests"), do nada, e tanto o reino dos demônios, quanto o dos humanos, começam a travar uma batalha pra ver quem conseguirá reunir todas, já que com o poder das tais pedras, o portador conseguirá um poder infinito, capaz de reger a tudo e a todos! As pedras são: Fogo, ar, água, terra, tempo e céu.
Depois de muita luta, Firebrand é o detentor de todas, mas devido a uma luta feroz contra o demônio Dragão, no qual era portador da pedra do céu, Firebrand fica muito ferido e é pego desprevenido por Phalanx, um demônio traiçoeiro que quer se utilizar dos poder das pedras para dominar ambos os mundos de demônios e de humanos.

Todas as pedras são roubadas de Firebrand por Phalanx, restando apenas uma lasca da pedra de fogo com Firebrand, pedra essa que Phalanx incumbe seu braço direito, Arma, de recuperá-la de Firebrand.
Começa então a luta de Firebrand para recuperar suas pedras de volta!

Aparentemente, esse jogo se passa depois do primeiro Gargoyle's Quest, já que há um demônio em uma cidade que reclama de Firebrand, dizendo que ele quase arrasou o reino dos demônios com sua arrogância, e que tem esperança que Phalanx vire o soberano do reino.
Isso nos leva a pensar que desde que Firebrand derrotou Breager, no jogo original, o reino dos demônios virou uma terra sem-lei, onde todos competem pelo trono, já que Firebrand pouco ligou em assumir o trono após a morte do antigo rei. Isso fez com que eu passasse a ver Firebrand de outro jeito, ou seja, um demônio "bon vivant" que só se preocupa com batalhas e de querer superar inimigos cada vez mais fortes q ele, esse é o prazer dele. Pelo menos é o que deixa a entender no último final do jogo (esse jogo tem 3 finais!)

O jogo esqueceu de vez a parte RPG e se concentrou totalmente na ação.
Nessa nova aventura, Firebrand tem capacidade de vôo ilimitado, não necessitando que Firebrand precise coletar nenhum item específico para mantê-lo mais tempo no ar, como acontecia nos jogos anteriores.

Conforme jogamos Demon's Crest, Firebrand vai recuperando aos poucos as Crests roubadas por Phalanx. Cada uma dessas crests dão um poder específico para Firebrand, por exemplo, se você usar a Crest da Terra, Firebrand se transformará em um Golem que pode destruir obstáculos que as outras formas não podem, mas sem a capacidade de voar e possuir uma rajada que percorre o chão; já a Crest do Ar possibilita a plenitude vôo de Firebrand, permitindo que o mesmo vá para lugares antes inacessíveis e que corte cipós com seu novo tiro, que lembra bastante um boomerang... e por aí vai.
É difícil alternar entre as variadas formas de Firebrand e não se lembrar do robôzinho azul da Capcom, Megaman, o esquema é muito parecido! Sem falar que última forma de Firebrand tem "ultimate" no nome...
Se você for fera o bastante e conseguir todos os itens do game, após derrotar Phalanx(que estará muito mais difícil!), você vai adquirir a Crest do Céu, que estava em poder do vilão, liberando a forma suprema de Firebrand, forma essa que possui todos os poderes das Crests anteriores e mais a possibilidade de encarar um demônio secreto que leva ao último final do jogo.
Caso arrisque a derrotar esse demônio, boa sorte, pois o lance é pedreira!

Depois que se passa a primeira fase, notamos, também, que agora há um mapa 3D muito bem feito pra época(94), se utilizando do já manjado efeito "mode 7" do Snes, bem parecido com o que foi criado para o jogo Final Fantasy 6.

Bom, é isso aí...

Apesar de Firebrand ser P*$# personagem, ele nunca conseguiu chegar ao estrelato entre as criações da Capcom, como os figurões Megaman e Ryu; seja por seu visual demoníaco(eu mesmo, quando era mais novo, não jogava por causa disso xD) ou por pouca divulgação por parte da Capcom, o fato é que os jogos do diabrete vermelho são legais pacas e merecem serem jogados e apreciados!
Curiosidades:

* Firebrand se mostrou um personagem bem popular entre os fãs da Capcom, já que foi lembrado e apareceu em 20º lugar na lista dos 25 personagens mais queridos de todos os tempos, da empresa.(Foi no final de 2008)
* Firebrand fez outras participações recentes em alguns jogos, mas a mais notável foi no jogo SNK VS Capcom onde, se não me falha a memória, ele era o chefe final do jogo.
* No Japão, Firebrand possui o nome de "Red Arremer"
* Não havia notado, mas até agora apresentei dois personagens da Capcom, da próxima vez vai ser algum de outra softhouse!